quinta-feira, 8 de julho de 2010

Kayak fishing - cana“Corsário”, para um pirata bom!

 

corsaricompleta

Já aqui vos falei dos amigos e do que alguns deles representam para mim e da dificuldade que tenho em construir uma cana para um deles. O desejo de que tudo saia perfeito dificulta a tarefa, ainda por cima se ficou ao meu critério a escolha dos materiais e das cores e os motivos da cana. Foi o que aconteceu com esta.

O Ernesto é uma espécie de irmão mais velho que nunca tive. Sempre com um conselho pronto para acalmar o sangue por vezes ainda demasiado fresco que tenho na guelra. Esteve e está sempre presente nos momentos difíceis, nunca me voltando as costas.

Desculpem este interlúdio mas com a idade aprendi que as coisas devem ser ditas ou escritas nestes casos, sem receios de parecer demasiado sensível e mesmo correndo o risco de na próxima pescaria ouvir algumas bocas sobre o assunto.

As pessoas que por uma razão ou outra nos são queridas devem saber disso.

Lamechices à parte, a cana que o Ernesto me pediu revelou ser um desafio em muitos aspectos.

Apesar de já ter construído algumas para esta técnica em conolon nacional, que resultaram muito bem, neste caso a intenção foi a de aproveitar uma cana de pesca embarcada com fio interior que tinha pouco uso. Mais difícil ainda.

Depois de limpo o “blank” e devidamente pintado de preto, colocou-se a questão: o que vou fazer nesta, que já é a terceira cana que faço para ele?

O homem gosta de mar, de pesca, aquele bigode faz lembrar os piratas dos filmes do Errol Flynn e pelo que conheço dele um estilo de vida mais livre como os dos corsários não lhe desagradaria de todo. Estava encontrado o tema para a cana.

O esquema de cores, apesar de estranho e à partida não fazer muito sentido, bem como a sua conjugação são de fácil explicação. O dourado por razões óbvias, o prateado pelas espadas, o preto porque faz lembrar aqueles sapatos com grandes fivelas assim como os cinturões que usavam para prender à cintura todo o seu arsenal bélico e o vermelho porque qualquer capitão pirata que se prezasse tinha um casaco ou um lenço na cabeça desta cor.

Para o batente, o alumínio já é escolha obrigatória. Leve e resistente.

corsariobatente

O cabo ficou forrado com manga retráctil com pequenos efeitos em forma de diamante. Por aquilo que conheço do pirata, esta cana vai passar um mau bocado e convém estar protegida.

corsarigrip

O porta carretos escolhido foi um Fuji, em grafite. Garantia de qualidade e leveza.

corsarioreelseat

Por cima do porta carretos resolvi inserir uma pequena caveira alusiva ao tema.

corsariocaveira

Para o gráfico, um inevitável pirata, o nome “Corsário” com um pequeno monte de moedas de ouro por baixo, o logo da 7even, as indicações técnicas e a bandeira nacional, que desta vez também serviu de fundo. Não gosto de ver a bandeira ser lembrada só quando há futebol.

corsariographic

corsariographic1

corsariographic2

Para terminar, os passadores. American Tackle ring lock. Leves, resistentes e ainda por cima elegantes.

corsarioguide

Mais uma que está pronta e entregue, esta diferente pela técnica em que vai ser usada e diferente também pelas inovações que tem nos enrolamentos e nos pormenores.

Só espero que o Ernesto se divirta tanto nesta nova aventura do Kayak fishing como eu me diverti a construir a “Corsário”.

Feliz reforma, amigo!