quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Na senda do Jigging



Disciplina em plena explosão em Portugal, o Jigging serviu de inspiração às primeiras canas que fabriquei.
Bons "blanks" a preços acessíveis são difíceis de encontrar mas com alguma pesquisa e um pouco de sorte tenho encontrado alguns com muito boa qualidade e que cabem nas bolsas da maioria dos pescadores. O primeiro lote de blanks em fibra de vidro maciça, tal como descrevi na entrada anterior e que ainda vão aparecer por aqui umas quantas vezes, outros com uma composição mista de "graphite" com fibra de vidro. A cana que vou descrever hoje foi fabricada com um destes últimos.


Um "blank" muito robusto, com 1,95m dividido por duas partes, tendo a ponteira um "insert" em fibra de vidro maciça com cerca de 30cm que lhe dá uma macieza na acção. À primeira vista, com acção de ponteira mas que conforme se puxa por ele verifica-se que na realidade é de acção progressiva.
Como componentes desta vez utilizei um porta carretos em alumínio idêntico aos das canas de produção da 7even, robusto e leve como se pretende, rematado por dois terminais também em alumínio, passadores prateados de duas hastes, arqueadas, por serem mais fortes e suportarem melhor possíveis deformações devido ao esforço exercido em acção de pesca já que o Jigging é uma modalidade extremamente exigente com os materiais em geral e com as canas em particular.



As linhas utilizadas são em nylon nos enrolamentos dos passadores e nylon e seda metalizada no entrançado.


No cabo, o nome " Light Jigging" prateado em destaque assim como o tamanho, a acção e o logo da 7even.

As cores escolhidas foram os tons de azul e prateado que em conjunto com o preto do "blank" e os alumínios, compõem uma cana de aspecto bastante agradável.

Em resumo, para um Jigging feito com amostras mais leves e destinada à captura de peixes de médio porte não se intimidando no entanto com algum de sonho que apareça, uma cana quase perfeita esta " Light Jigging".

A próxima já vem a caminho...