sábado, 11 de dezembro de 2010

Duas canas deliciosas

 

dsc_02881

 

Calma! Não mudem de blogue. As Made in Portugal são aqui mesmo.

Este é o tema mais fora do comum que já coloquei numa cana. E confesso que me assustei com o pedido!

À primeira vista poderá parecer estranho escolher os deliciosos pastéis de nata para tema de uma cana de pesca ou melhor, para duas canas de pesca, mas depois de vos contar uma pequena história, vão perceber porquê.

O João Carlos Silva já namorava as Made in Portugal há algum tempo. Quando finalmente se decidiu, encomendou duas canas para pesca embarcada: para ele e para o seu companheiro de faina, Horácio Afonso.

Os “blanks”, em conolon nacional, com 3,00m divididos por duas partes e três ponteiras (duas em carbono e uma em fibra), passadores Fuji K e porta carretos da mesma marca ou similar.

Como condição pediu que o tema fossem os pastéis de nata e ambas tivessem no gráfico o nome “Gang do Pastel de Nata”, pois antes de embarcarem rumo às suas pescarias invariavelmente abastecem o barco com alguns pastéis de nata.

Após o choque inicial, comecei a achar o tema engraçado e associado às ideias que comecei a ter chegaram as sugestões do João e da sua companheira Maria João. Muitas!

Isto causou um problema com que nunca me tinha deparado e que me bloqueou um pouco: estava com excesso de ideias para apenas duas canas.

Foi um processo difícil de organizar, que fez com que a meio da construção acabasse por desistir de uma das canas que já ia a meio e a recomeçasse, já que o resultado não era do meu agrado. Bem, na realidade nunca é. Fico sempre com a sensação de que poderia ter feito muito melhor.

Depois de organizadas as ideias, os trabalhos começaram a fluir e os resultados foram os que vou passar a mostrar.

Apesar do pedido inicial do João para fazer ambos os cabos em cortiça, optei por fazer um deles com um novo material que, não sendo fabricado propositadamente para a construção de canas, se adapta perfeitamente. Resistente, impermeável e com cores e padrões variados que me permitem “voar” um pouco. Este cabo é uma estreia mundial.

O batente escolhido foi uma peça de alumínio preta com um pequeno pastel de nata embutido. Ora vejam.

 

pastelnata-butt

pastelnata-butt1

pastelnata-grip

Escolhi um porta carretos em alumínio preto e laranja, ao qual retirei a parte central onde coloquei material igual ao do cabo com o nome do dono da cana, neste caso o João. Nas extremidades, duas peças de alumínio preto. Confesso que até agora este porta carretos é o meu favorito.

pastelnata-reelseat

O gráfico é um dos poucos pontos comuns das duas canas.

Para um tema tão invulgar, tive que tirar algumas fotos a pastéis de nata. Obviamente que depois de utilizados não os poderia deitar fora. Como resultado ganhei mais um acrescento ao pneu já existente. Ossos do ofício.

A ideia foi ter um pastel fisgado por um anzol empatado numa linha que desenha as letras “Gang do Pastel de Nata”. No mínimo, original!

pastelnata-graphic

pastelnata-graphic1

pastelnata-graphic2

Os passadores como não podia deixar de ser são os Fuji K com um enrolamento feito em preto, cobre, castanho e branco. Simples como se impunha devido ao facto de as estrelas desta cana serem o cabo e o porta carretos.

pastelnata-guide

Está feita a primeira estreia mundial aqui no “Canas Made in Portugal”.

pastelnata

Depois de terminada a cana do João e olhando para o resultado final, o grau de dificuldade da segunda cana subiu e muito.

Impunha-se um cabo em cortiça que se distinguisse de todos os outros e um porta carretos e enrolamentos diferentes.

O cabo desta menina foi feito e desfeito quatro vezes até ficar como queria: uma espécie de “quadri split”, ou seja, partido em quatro partes com peças de alumínio a preencherem os intervalos.

O batente é do mesmo material, com o pastel de nata embutido.

pastelnata1-butt

pastelnata1-butt1

pastelnata1-grip

O porta carretos em grafite e alumínio da Pacific Bay foi personalizado na parte central com um enrolamento idêntico ao que vai decorar o resto da cana: em laranja, branco e preto, com o nome do proprietário - Horácio Afonso.

pastelnata1-reelseat

O gráfico é exactamente igual ao da primeira, com excepção dos enrolamentos.

pastelnata1-graphic

Os enrolamentos revelaram-se outra dor de cabeça tantas eram as combinações possíveis de fazer. Acabei por fazer dois enrolamentos diferentes com base nas três cores atrás referidas.

pastelnata1-guide

pastelnata1-guide1 

E o resultado final foi este.

pastelnata1

Para além da originalidade do tema das canas o acto da entrega também foi único.

Pastéis de nata e o respectivo moscatel de Setúbal, oferecidos pelo João, fizeram parte da cerimónia de entrega e transformaram o acto numa pequena festa. Na foto os orgulhosos (julgo eu) proprietários das minhas meninas.

Na foto de baixo o meu herdeiro mais novo (e ajudante!) fez questão de fazer notar a sua presença.

pasteldenataentrega

pasteldenataentrega1

Estão assim apresentadas duas canas muito especiais e que marcam a passagem para um nível superior em relação à qualidade de construção dos meus cabos e à apresentação de novas soluções para os mesmos.

Ao João quero agradecer a confiança depositada no meu trabalho, os pasteis de nata e o moscatel que ainda acompanhou a redação desta entrada.

As próximas já estão prontas, fotografadas e entregues aos donos. Em breve também estarão por aqui para se mostrarem.